fbpx

Pe José Antunes

Depois de um dia em que nos encontramos com os pais das crianças e adolescentes da catequese da Unidade Pastoral é com imensa alegria que todos nós, pároco e catequistas nos sentimos depois desta maratona de encontros desde as 9h00 até às 19h00.

A pandemia não nos paralisa mas abre-nos janelas pelas quais entrevemos propostas de trabalho na Catequese paroquial.

Estamos felizes pela resposta dos pais ao desafio que lhes foi proposto.

Ao terminar este dia e olhando para trás vemos que a pandemia levou-nos a adquirir novas metodologias para a aprendizagem. Alteramos horários, sentimos da parte dos pais que querem ser cada vez mais parte na formação e na educação cristã dos seus filhos.

O objectivo ontem, hoje e amanhã é o mesmo: conduzir as nossas crianças e adolescentes a conhecer mais e melhor Jesus Cristo para cada vez mais o amar.

Cansados mas felizes agradecemos ao Senhor este dia.

 

Temos consciência dos impactos da pandemia e as suas implicações na vida pastoral.

Em tempos normais, nesta alturas catequese paroquial já teria começado. Todavia com a crise pandémica leva-nos a programar a vida paroquial com prudência.

Assim, depois de várias reuniões com os(as) catequistas , via zoom, chegou agora a altura para um encontro entre pároco, catequistas e pais com filhos na Catequese para lhes dar a conhecer o modo como iremos trabalhar neste ano 2020/2021.

Deste modo, sábado, dia 17 de outubro haverá um  de conjunto de encontros entre pároco, catequistas e pais com filhos na Catequese na igreja de São Sebastião. Para estes encontros pedia que viesse só um elemento( ou pai ou mãe). A criança não é necessário que venha.

Horas:

9h00-para os pais cujos filhos entram este ano para a catequese

10h00- para os pais das crianças que vão frequentar o 2ºano

11h00-para os pais das crianças que vão frequentar o 3ºano

12h00-para os pais das crianças que vão frequentar o 4ºano

15h00-para os pais das crianças que vão frequentar o 5ºano

16h00-para os pais das crianças que vão frequentar o 6ºano

18h30-para os pais dos adolescentes que vão frequentar os 7, 8º, 9º e 10ºanos.

Nesta altura faremos a inscrição para os novos e a reinscrição para os que já frequentaram a catequese no ano passado.

Até Sábado, se Deus quiser!

segunda, 07 setembro 2020 17:16

Ano Pastoral 2020/2021

Vou-me servir de uma nota pastoral da Diocese de Portalegre e Castelo Branco para nos situarmos neste inicio de ano pastoral. Também algumas notas do cardeal D.António Marto poderão servir-nos de reflexão nesta hora de planificar o novo ano pastoral.

Ao mesmo tempo que temos consciência que: “bastantes pessoas ainda estão reticentes em participar na celebração dominical, dominadas pelo medo ou pelo comodismo. Sentimos tristeza e preocupação, particularmente com a ausência de pais, crianças e jovens. Não será o sinal de alarme e alerta de que a pandemia veio pôr a descoberto e acentuar o que já estava a acontecer, isto é, o abandono da celebração dominical por parte das novas gerações?”.

É que “nunca tínhamos imaginado ver as igrejas vazias, suspensas as celebrações comunitárias, a catequese e tantas atividades. A impossibilidade de aceder aos sacramentos, de receber a comunhão sacramental, de se encontrar com os irmãos e irmãs em comunidade, de celebrar um funeral religioso digno aos entes queridos falecidos, de viver confinados a Quaresma, a Páscoa e todo o tempo pascal, tudo isto constituiu uma dura provação”.

O período de confinamento, por causa da Covid-19, evidenciou “a necessidade da personalização da fé”, propondo uma “pastoral de proximidade”.

São fortes os impactos da pandemia, nos últimos meses e no futuro e admitimos que as limitações impostas pela doença abalaram “profundamente” as comunidades católicas.

Notamos apesar disto “que os últimos meses mostraram “criatividade pastoral” e a possibilidade da “experiência da fé em família e como família, qual pequena Igreja doméstica”.

 

O regresso possível e prudente às atividades pastorais ”

 

Temos consciência dos impactos da pandemia e as suas implicações na vida pastoral, para assim haver uma visão de conjunto.

Do encontro que teve com os seus colaboradores o Bispo diocesano emitiu um comunicado que eu quero aqui deixar para todos nós, apesar de longe territorialmente, estamos perto com  as preocupações que a todos nos assaltam.

 Comunicado

1.     Será prudente adiar o início da Catequese da infância e adolescência nas paróquias até ao final do mês de outubro, com vista a deixar estabilizar o início da escola e os eventuais impactos na situação pandémica.

2. As inscrições para o 1ºano da catequese serão feitas após o começo da catequese.

3. As Festas da primeira comunhão relativas ao ano que terminou. Vamos conversar com os(as) catequistas e os pais e partir daí marcaremos as festas

4. Quando começar a Catequese, ter-se-á sempre em vista o estrito cumprimento das regras de distanciamento, uso de máscara e desinfeção, não podendo acontecer catequese em sítios onde não haja condições para que aconteça em segurança.(é o nosso caso. As condições não são as melhores. Temos salas dignas mas não estamos preparados para estas exigências).

5.As pessoas pertencentes a grupos de risco, catequistas ou catequizandos, não devem frequentar presencialmente a catequese, encontrando-se, com criatividade e responsabilidade, formas que permitam a uns exercer o ministério e a outros ser ajudados a descobrir a amizade com Jesus.

6.A Jornada Mundial da Juventude, em Lisboa, continua a ser o grande horizonte e a meta de toda a ação pastoral, principalmente neste sector juvenil.

 

 

quinta, 02 julho 2020 10:49

Encerramento da Catequese 2019/2020

A Catequese deste ano pastoral 2019/2020, em Casa (por via eletrónica ou digital TERMINOU..

Os pais devem fazer a inscrição na catequese do 1.º ano (para as crianças nascidas em 2014) depois de 13 de Setembro. Marcarei uma reunião para que os pais possam fazer a inscrição dos filhos na catequese.

É evidente que tudo depende como estiver a pandemia que alterou tudo a todos.

Vamos esperar que a situação melhore para que possa haver catequese "normalmente".

Assim Deus nos ajude e nos conceda esta graça.

Entretanto fomos fazendo umas despedidas através da plataforma ZOOM com alguns grupos de catequese. Outros via WhatsApp ou SMS.

Boas férias a todos ! E vamos esperar com confiança que a situação altere.

Aqui vai uma fotografia da reunião com os pais e crianças da Catequese familiar 2.

 

terça, 23 junho 2020 07:11

Partilhar para ajudar

Partilhar para ajudar.
Este ano, com a pandemia da COVID-19, a contribuição dos paroquianos em favor do Fundo paroquial está quase a zero. Todos sabemos a pandemia trouxe consigo o desemprego, crise e que, por isso, algumas familias não poderão fazer nenhuma contribuição. Todavia penso que haverá outras que o poderão fazer. Não me levam a mal que fale nisso porque a Unidade pastoral de São Paio e São Sebastião só sobrevive com a ajuda dos paroquianos e amigos da Unidade Pastoral.
Sei que não é uma altura muita propícia mas a Unidade Pastoral, por alturas da Páscoa tinha uma entrada de donativos dos paroquianos amigos que ajudava na economia da mesma. Deixo à vossa liberdade a partilha, agradecendo algumas familias que já deram um pouco do que era seu. Nada mais posso dizer além disto! O que nos aconteceu ( a pandemia) alterou radicalmente a nossa vida e abriu locais de pobreza extrema. Mas , naturalmente, quem puder colaborar ajudar-nos-á a socorrer aqueles que mais precisam.
As paróquias têm as suas despesas constantes. E agora somos procurados para ajudar porque como atrás disse a pobreza está aí. E não podemos fechar os olhos ao próximo que passa mal. Se ajudarmos poderemos ajudar aqueles que precisam.
Deixo os IBAN das paróquias para , dentro da nossa liberdade podermos colaborar com as paróquias como fazemos por alturas da Páscoa e que este ano "passou um pouco ao lado"
IBAN Fábrica da Igreja paroquial de São Sebastião
PT50 0018 000803458857020 33
IBAN Fábrica da Igreja paroquial de São Paio
PT50 0035 0363 00110772930 25
Um abraço amigo e votos de que esta pandemia com a graça de Deus se afaste de nós e voltemos ao nosso modo habitual de ser.
Agradecido,
Pe. Antunes