Pe José Antunes

segunda, 09 junho 2014 07:40

Encontro de avaliação e planificação

Sábado, dia 14 de Junho de 2014

Encontro de avaliação do ano 2013/2014 e planificação do ano catequético 2014/2015.

Para que tudo corra bem e se possa corrigir o que menos bem ocorreu numa actividade é necessário avaliar.

Por isso, na Unidade Pastoral de São Sebastião e São Paio, os(as) catequistas vão encontrar-se para avaliar e planificar.

Assim todos(as os(as) catequistas devem fazer tudo para estar presente neste encontro fundamental para avaliar e planificar.

Que ninguém se sinta dispensado de estar presente. Em Igreja só se deve trabalhar em conjunto e nunca isolados. Daí, este encontro.

Encontramo-nos no Patronato de São Sebastião, às 14h30. Quem tiver automóvel traga-o porque iremos para a casa de uma catequista que tem uma casa em Polvoreira e lá é que faremos este encontro.

Iremos trabalhar, conviver, celebrar a Eucaristia e para terminar jantaremos todos(não é necessário trazer nada para comer). Tragam a Biblia, algo com que se escreva e ideias para que o trabalho decorra da melhor forma.

No fim de jantar regressamos.

Então...até sábado, se Deus quiser.

Um abraço

sexta, 06 junho 2014 15:39

Encerramento da Catequese

Neste domingo, dia 8 de Junho, na missa das 11h30, na Igreja paroquial de São Sebastião celebraremos a Eucaristia de encerramento da Catequese.

No fim da Missa, teremos um almoço partilhado com as famílias que quiserem associar-se. Será momento de partilha e de convívio.

Entramos de férias mas não podemos esquecer que devemos continuar a participar na Eucaristia dominical e ser amigos de Jesus. Para com Deus não há férias.

Da minha parte, uma palavra de agradecimento a todos(as) que se empenharam para que o ano catequético decorresse da melhor forma.

Para os nossos meninos e meninas boas férias, bom descanso e...em Outubro regressamos.

Estamos entendidos?

Boas férias

 

sexta, 06 junho 2014 15:35

Oração de Taizé

Como todos os meses ao sábado, também neste mês de Junho, iremos rezar ao jeito de Taizé. Também será ocasião de celebrarmos a Vigilia de pentecostes, a Festa do Espirito Santo

É na Igreja paroquial de São Sebastião, às 19h30, deste sábado, dia 7 de Junho de 2014.

Aparece! És bem-vindo(a).

quarta, 04 junho 2014 11:32

Cuidar da Casa

Cuidar da casa

 

Actualização do ficheiro paroquial e oferta anual.

Foi com este título que enviei uma carta aos paroquianos por ocasião da Páscoa e também no boletim semanal durante duas semanas em que dava conta das preocupações das paróquias às quais pertencemos. Quase a terminar o tempo pascal, em jeito de balanço, aqui vão algumas reflexões.

Vamos a números:

São Paio-1600 cartas colocadas nas caixas de correio das habitações.

São Sebastião-1600 cartas enviadas colocadas nas caixas de correio das habitações.

Nessa carta, além das preocupações manifestadas pedia o preenchimento  dos dados familiares de cada lar. Falava também do dever que todos temos, se somos paroquianos, e paroquiano não é só aquele que reside na paróquia mas principalmente se vive a sua fé, domingo a domingo, participando na eucaristia dominical, seja na Igreja paroquial ou em qualquer igreja onde se sinta bem e acolhido.

Mas também é paroquiano se colabora com a sua dádiva para fazer face às despesas relativas:

a) Ao culto divino;
b) Ao ensino da doutrina cristã;
c) Às obras de espiritualidade e apostolado;
d) Ao exercício da caridade em favor dos necessitados;
e) À remuneração do clero e de outras pessoas que prestam serviço à comunidade paroquial
f) À manutenção das igrejas ou capelas e outros imóveis;
g) Ao bom funcionamento do cartório;
h) À formação de agentes da Pastoral 

e dizia:” Não é preciso que demos muito. É mais preciso que sejamos muitos mais a dar alguma coisa, por muito pequena que nos pareça. Com um pouquinho de cada um, poderemos fazer muito e muito mais. Ajudar as paróquias é ajudarmo-nos a nós mesmos. Esta é também a nossa casa. Tenhamos gosto em cuidar dela”. É o chamado contributo de cada família ou a chamada oferta familiar.

Sei que são outros tempos estes em que vivemos mas, como paroquianos, temos deveres se queremos também usufruir de direitos. E só nesta correlação haverá um entendimento claro para todos.

Mas, infelizmente, das 1600 cartas enviadas recebi com dádivas:

São Sebastião- recebi  189 cartas, algumas tranferências bancárias e o valor das ofertas foi de 5.715€.

São Paio- recebi 206 cartas, algumas tranferências bancárias e o valor das ofertas foi de 6.555€.

 

Algumas notas para reflectir:

1)       Em São Sebastião e São Paio há só estes paroquianos (famílias)? Um caso a pensar por todos. Na vida, apesar de estarmos na cidade, e haver uma dispersão maior temos referências: a família, a escola, uma pessoa determinada que nos marcou, a freguesia a que pertencemos, a paróquia na qual estamos inseridos. Ninguém é uma ilha. Estamos todos em relação. Quando há um baptismo, quando precisamos de algum documento para ser padrinho de baptismo, nas horas de dor por ocasião da morte de alguém querido queremos que o sacerdote presida ao funeral,etc. quem procuramos? É neste sentido que temos que ter consciência que temos deveres para com a paróquia a que pertencemos. Por isso,se há mais paroquianos, que dizer desses mesmos que “assobiam para o lado” e fazem de conta que é para os outros que se fala?

2)       O ficheiro paroquial veio muito incompleto por parte das famílias que o preencheram. Há receio de dar os dados que se pediam? Não há que temer nada porque eles ficam no foro privado. Mas se os dados pedidos fossem todos preenchidos estaríamos mais em comunicação, sempre que fosse necessário.

3)       Aos que não colaboraram ou não deram a sua oferta anual é sempre tempo. Haja boa vontade que tudo se resolve. Assim é que não se pode continuar porque, tenho a certeza, nada disto corresponde á realidade. Somos, em grande parte, uns comodistas, que queremos as coisas ao nosso gosto, à nossa vontade. E sempre que somos interpelados para a partilha é uma complicação.

Mas, caros amigos, não podia guardar para mim aquilo que é uma situação triste e por isso, mais uma vez, aqui fica o apelo a todos os residentes nas paróquias de São Sebastião e São Paio, que continuo a pensar são paroquianos, porque cristãos  e vão dar uma resposta cabal aos desafios lançados hoje.

 

Agradecido, em nome das paróquias,

 

Pe.Antunes