domingo, 08 setembro 2013 11:30

Exigências de Jesus

Escrito por Pe Mesquita

Exigências de Jesus - Paróquia S. SebastiãoO tema principal das leituras deste XXIII domingo está na radicalidade que Jesus exige aos seus seguidores. Algumas das suas frases foram sempre, e ainda o são hoje, difíceis de entender, viver e praticar.
Salomão que foi um sábio rei do Antigo Testamento, pediu a Deus a Sabedoria que desce "do alto" para poder revelar os caminhos do Senhor e permitir caminhar por eles. Sem a Sabedoria ninguém pode "conhecer o que é agradável a Deus, nem pode "salvar a sua vida" (vv 17,18).
S. Paulo nesta 2ª leitura, cheio desta Sabedoria pede a Filémon que receba o seu escravo "como irmão" pois esperava que ele tivesse o "espírito do alto" e assim aceitasse o seu pedido.
É esta radicalidade que Lucas, no evangelho deste domingo, nos procura fazer compreender: Jesus uma liberdade incondicional perante as pessoas, as coisas e as situações. "Se alguém vem ter comigo e não Me preferir ao pai, à mãe, à esposa, aos filhos, aos irmãos, às irmãs e até à própria vida, não pode ser meu discípulo. Quem não toma a sua Cruz para me seguir não pode ser meu discípulo". Quem não coloca Jesus e o Reino de Deus no centro da sua vida e acima de tudo "não pode ser meu discípulo" ressoa três vezes como um refrão incontornável no evangelho de hoje.
Confirmando e explicando exigências tão radicais, Lucas acrescenta depois duas parábolas. Seguir Jesus é como querer construir uma "torre", portanto tem edifício imponente e dispendioso para o qual se requer um grande investimento inicial e um compromisso de longa duração: duas componentes fundamentais na ideia de Lucas, ou seja, um empenho decisivo e a "perseverança", as únicas que podem garantir o sucesso. Também a segunda parábola sublinha os grandes sacrifícios da exigência de Jesus: é preciso renunciar a todos os bens. O discurso de Jesus é duro e inacessível não só para as multidões mas também para os discípulos. Por isso se diz no inicio da primeira leitura: " qual é o homem que pode conhecer os desígnios de Deus?". Quem pode sondar as intenções de Deus?
Oração:
Ó Deus, Vós sabeis como é difícil para nós lidarmos com as coisas da terra e muito mais ainda com as celestes: dai-nos a Sabedoria do vosso Espírito, para que, como verdadeiros discípulos carreguemos a nossa cruz todos os dias atrás de Cristo vosso filho.

 

8 de Setembro – Dia da Natividade de Nossa Senhora

Pe Mesquita

8 de Setembro – Dia da Natividade de Nossa Senhora - Paróquia S. SebastiãoEste ano coincidiu a Peregrinação à Penha no dia de anos de Nossa Senhora.
Segundo a tradição mais razoável esta celebração ascende ao século VII unida ao 8 de Setembro. Não é de mais que a Igreja nos convide a celebrar este dia com toda a solenidade e com a maior alegria possível pois que o nascimento da Virgem Maria é o "penhor das divinas promessas e como que a segurança e o voto do futuro nascimento de Jesus" (São João Damasceno). Da celebração do dia de anos de Maria veio oportunamente o título de Nossa Senhora da Natividade.
A celebração, em Portugal, da Natividade de Nossa Senhora é muito antiga. Pelo menos no século XVI foi fundada em Tentúgal o convento de Nossa Senhora da Natividade. Hoje é fácil reconhecer que a devoção a Nossa Senhora da Natividade se estende do Minho ao Algarve, sendo mais viva a norte do Douro.
Na diocese de Viana do Castelo há três freguesias que a tomaram como padroeira e ainda dois santuários dedicados a Nossa Senhora de Natividade o de Cubalão ou Cubalhão e o de Castro Laboreiro. Ainda na mesma diocese há um outro célebre Santuário na freguesia de Cambezes, um dos grandes centros de devoção do Alto Minho.
No diocese de Vila Real encontram-se cinco freguesias com o orago de Nossa Senhora da Natividade.
Na diocese de Bragança tomou-a como padroeira a freguesia de Azinhoso, concelho de Mogadouro, com uma igreja em granito do séc. XII.
Na diocese do Porto são três as freguesias que a têm por orago.
Na diocese de Viseu é titular Caide e Silguei-

ros, Candal, Barreiro e Mosteirinho.
Na diocese de Aveiro é titular em Murtosa.
Na diocese de Leiria é orago de Rio de Couros.
Nas dioceses Évora e Guarda uma freguesia em cada diocese dedicada a Nossa Senhora da Natividade.
Nas dioceses de Viana do Castelo e Braga há 16 imagens deste título.
E por toda a parte se celebra o nascimento da Virgem, por ser festa universal marcada no calendário da Igreja no dia 8 de Setembro.
Com referência particular encontrei em 1956, nas manobras militares, em Santa Margarida, o Coronel Comandante dum grupo de artilharia, de quem eu era o capelão. Logo nos primeiros dias disse-me: "amanhã eu queria estar presente na celebração da Missa. Antes ainda me queria confessar". Assim aconteceu e foi precisamente no dia 8 de Setembro desse ano.
Uns dias depois, já nos conhecíamos melhor, confidenciou-me: "fiz-lhe este pedido da confissão e celebração da Missa pois neste dia comecei o meu namoro e, como me sinto tão feliz com a esposa e os 10 filhos, neste dia é o princípio dessa felicidade".
Passados tantos anos é bom recordar este episódio que, como tantos outros me enchem a alma de alegria. Bendito seja Deus e a Senhora da Natividade.